Maruim 168 anos: a natureza de Maruim aos olhos de Adolphine Schramm

Maruim é a própria natureza, como já bem descreveu este principiante Amante das Letras que vos escreve na crônica ‘Maruim é Universal’. Mas, como não se render a esta força vital encontrada em tantos cantos da cidade, que completa 168 anos de Emancipação Política nesta quinta-feira, (05)?

Foto | John Kennedy

Em 1858, a madame alemã Adolphine Schramm, chegou a Maruim com seu esposo Ernest Schramm para dirigir a Casa Schramm & Co. no grande comércio maruinense. Adolphine escrevia muitas cartas para seus amigos e familiares e, em algumas delas, retratou a natureza de Maruim aos seus olhos.

O Maruim em Pauta separou trechos destes escritos da madame alemã em terras maruinenses.

(…) “O céu cheio de estrelas parece mais brilhante, embora sinta falta das poucas constelações que conhecia”.

Carta Nº 3
Foto | Jr. Pina

“As pessoas da Região Norte adoram o eterno verde da Zona Tropical. De fato, as árvores aqui, são sem dúvidas, verdes, isto é, como em nossa terra no verão, nos jardins de estradas (…) A época das chuvas deve embelezar novamente a natureza: aparecem, então, as flores, as frutas, os pássaros, as borboletas (…)”.

Na carta nº 5

Foto | Jhonata Teles

(…) “É difícil de reproduzir em cores essas luzes bruxuleante, que por assim dizer, se fixam sobre cores fortes, uma consequência, acredito, do ar puro”.

Carta nº 21
Foto | Jhonata Teles

(…) “Gosto ver a chuva chegar, pois, então, as montanhas parecem revestidas de um ar cinzento, pelo qual se percebem os vales e as formas das montanhas, não percebidas antes, pois tudo estava envolto num verde claro”.

Carta nº 21

Adolphine Schramm faleceu de cólera em 11 de abril de 1863.

Adolphine Schramm | Reprodução

A notícia da morte foi dada a sua irmã, por seu esposo Ernst Schramm, via telegrama marítimo, que foi recebido 8 dias após sua morte: 

“Adolphine morreu de cólera 11 de abril. Prepare sua mãe para esse golpe terrível. Ernest”.

Despachado de lisboa, às 16h, do dia 17 de abril de 1863 e recebido às 16h do dia 19 de abril de 1863.

A madame alemã gerou Maxmiliano Schramm em Maruim, fruto do seu amor com Ernest. Max, que aos 5 anos de idade foi morar na Alemanha, junto com seu pai, após o falecimento de sua mãe. 

Adolphine e Max Schramm e sua criada| Reprodução

Tempos depois, o maruinense Max Schramm, foi prefeito e senador em Hamburgo, na Alemanha. 

Por Lohan Muller, jornalista DRT 2391/SE

Fontes consultadas:

CRUZ E SILVA, Maria Lúcia Marques. Inventário Cultural de Maruim. Edição comemorativa aos 166 anos de Emancipação Política de Maruim e 200 anos da Independência de Sergipe publicado em 2020;

FREITAS, José Edgard da Mota. Cartas de Maruim. Universidade Federal de Sergipe – UFS publicado em 1991.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s