Maruim 168 anos: a Cidade e seus Filhos | Por Lúcia Marques

A terra onde se nasce tem tanto peso na história de vida das pessoas, que muitas vezes passa a fazer parte das próprias identidades. Isso é tão real, pois parece que os minúsculos fragmentos do sagrado solo integram a materialidade  do corpo e, também a essência da alma dos seus filhos. É assim que se comportam os maruinenses e as pessoas que se aninham nesse  abençoado pedaço do território sergipano.

O nome MARUIM , além de ocupar um lugar de honra nos documentos oficiais quando se preenche a naturalidade, mais ainda, quando o topônimo de lugar passa a batizar aquelas criaturas, que a personificam, a exemplo do Barão de Maruim, o jogador que adotou o nome Ney Maruim e entre outros.

Parabéns, MINHA AMADA MARUIM!

| Maria Lúcia Marques Cruz e Silva, bióloga é Presidente da Academia Maruinense de Letras e Artes – AMLA. | 

Maruim, 5 de maio de 2022 – 168 anos de Emancipação Política

Contatoluciamaruim@bol.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s