Período junino: Grande Aracaju contabiliza mais de 1,2 mil acionamentos à Polícia Militar por descumprimento ao decreto governamental

Mesmo com as orientações para que não ocorressem aglomerações e situações que gerassem perturbação do sossego, os números de ocorrências envolvendo esses tipos de condutas tiveram aumento na Grande Aracaju durante o período das datas caracterizadas pelas festividades juninas. De acordo com os dados do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), do dia 22 de junho até essa terça-feira, 30, foram contabilizados mais de 1,2 mil acionamentos por desobediência ao decreto governamental e de 2,6 mil por perturbação do sossego na região.


 

Segundo o Ciosp, unidade da SSP, apenas na capital e em São Cristóvão, o número de acionamentos por desobediência às determinações legais, que tem como objetivo a redução dos riscos de contágio pela Covid-19 e preservação de vidas, foi de 941. Já no tocante à perturbação do sossego, foram registradas 1.846 ocorrências. 
 

Em toda a área de atuação do Comando do Policiamento Militar da Capital (CPMC) – que, além da Região Metropolitana, abrange as cidades de Itaporanga D’Ajuda, Laranjeiras, Divina Pastora, Riachuelo, Maruim e Santo Amaro das Brotas – foram contabilizados 1.275 acionamentos por desobediência ao decreto governamental e 2.646 por perturbação do sossego.
 

Dias com maior número de ocorrências   
 

Os dias 23, 24, 28 e 29 foram os que apresentaram maior incidência de chamados decorrentes da prática dessas duas condutas. As datas correspondem às vésperas e dias de São João e de São Pedro. E foram nesses dias do período junino que o Ciosp contabilizou o maior número de acionamentos para ocorrências de descumprimento ao decreto governamental e de perturbação do sossego.
 

Nas dez cidades atendidas pelo CPMC, no dia 23 foram 364 acionamentos à Polícia Militar por desobediência e 272 por perturbação do sossego. No dia 24, 160 e 640, respectivamente. No dia 28, 383 e 683. Já no dia 29, 58 e 336, nessa mesma ordem. 
 

Perturbação do sossego
 

Além de som alto, outras ações também podem ser enquadradas como perturbação do sossego, como algazarra ou gritaria da vizinhança, dentre outras formas de tirar o sossego de alguém. A Polícia Militar informou que, se constatadas as denúncias, dois Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO) podem ser confeccionados, sendo um pelo descumprimento do decreto governamental e o outro pela perturbação do sossego.

*Com SSP/SE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s