Que não percamos a memória da nossa eterna Maruim | Por Joelma Martins

QUE NÃO PERCAMOS A MEMÓRIA DA NOSSA ETERNA MARUIM!

Falar de Maruim nos orgulha e nos enche de emoção. Saber que nesta terra viveu um homem, um ser ímpar, um verdadeiro herói do conhecimento e das letras. Uma alma de luz e amor: Joel Macieira Aguiar. Como ele sempre contou, “A cidade das Luzes, a eterna menina das Letras, Maruim”, parece perder sua luz e não mais iluminar as mentes daqueles que lutam em preservar sua história. Aquela que um dia fora tão apreciada pelos poetas está a cada dia presenciando – a passos largos – a destruição de seus prédios históricos, suas relíquias bibliográficas e ruínas que retratam um passado de honra e glórias. Tudo vai se esvaindo como poeira ao vento, deixando apenas lembranças de um tempo áureo.

Em meio a tudo isso, nos diz ainda o grande mestre Joel Aguiar nos diz que “O livro, senhores, que foi, que é, que há de ser o pedestal de todas as civilizações e o rico diadema da Cultura humana, neste nosso pequeno planeta terrestre(…) origem e finalidade da sabedoria, escada de Jacob das idealidades humanas, espelho e repositório das grandes almas”(AGUIAR, p.155).

“Essa cidade das Luzes” inúmeras vezes pronunciada por poetas e escritores, hoje tenta manter-se de pé, e celebra seus 166 anos de Emancipação Política. Decorridos tantos anos da sua fundação, continua sendo visto – ainda que por poucos olhos – o brilho e a luz dos seus anos de ouro. Novos poetas e escritores lutam bravamente parar fazer reconhecer o seu potencial e acreditam que a força daqueles que fazem das letras uma arma, pode de fato combater o temido indiferentismo de enxergar apenas suas possibilidades econômicas.

A luta é ainda para que tudo aquilo que plantou o ilustre poeta maruinense seja de fato conhecido por aqueles que veem na educação uma pedra preciosa, de incalculável valor, capaz de romper as barreiras do preconceito racial e social. Olhando para o passado, pode-se fato construir um futuro melhor e acessível a todos.

A cidade sonhada por Joel Aguiar teve seus tempos de glórias e de conhecimento ficou no século passado. Olhe para a Maruim de hoje e tente responder a estas perguntas:

Como está o seu povo? De que forma a sua cultura está sendo preservada? No que você pode contribuir para o progresso da sua cidade? Você se importa com a destruição da sua memória? O que você está fazendo para que isso não aconteça? Onde você se encaixa para o desenvolvimento de sua cidade?

Que os 166 anos de Emancipação Política de Maruim possam despertar em cada um de nós o desejo de preservar a memória daquelas pessoas que honraram e que ainda honram a sua terra, os seus costumes e o seu povo.

Parabéns Maruim!

Joelma Martins

Maruim, 05 de Maio de 2020.

Joelma Martins é Licenciada em Letras Português (UNIT) e Bacharel em Biblioteconomia e Documentação (UFS). Pós-Graduada em Didática do Ensino Superior e Gestão Educacional. Escritora, Cordelista, Poetisa e Imortal na Acadêmica Maruinense de Letras e Artes, ocupa a cadeira Nº 8, cujo a patrona é Josilda de Mello Dantas. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s