Sabedoria ou Ignorância? A decisão é sua… | Por Joelma Martins

SABEDORIA OU IGNORÂNCIA? A DECISÃO É SUA…

Gostaria de começar a coluna desta semana, desejando a todos vocês abundantes graças de sabedoria para àqueles que a desejam ou ignorância para àqueles que a preferem, fica a critério de vocês. Porém a chance que temos é o hoje, o agora para decidirmos. O importante é que saibamos escolher aquilo que for melhor para cada um de nós.

Sabedoria no grego significa “sofia” que se refere ao saber ou inteligência plena; ou ainda condição de quem tem o conhecimento a erudição, isto nos ensina o velho dicionário Aurélio. No termo comum é a qualidade que dá sensatez, moderação a pessoa, para religião trata-se do conhecimento inspirado nas coisas divinas provenientes de Deus, Ser Supremo e Absoluto de todo universo. “Quão insondáveis são os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos”(Rm 11,33)

Os intelectuais em sua maioria eram conhecidos por sua honrosa inteligência e estupendas retóricas, enquanto que a sabedoria vivenciada pelos filósofos tem sua origem no uso da razão, corporificada no conhecer, no falar e no agir, pensamento este defendido por (HABERMAS, 2012 P.19). Porém quando nos deparamos com a origem da palavra Filosofia que vem do (grego) Philo + (Sophia) sabedoria, poderíamos então imaginar que a sabedoria vista por esta ciência não foca na religião, sim na razão. Algo que nos deixa curioso a nos perguntar: Quem realmente somos? O que estamos fazendo aqui? Para onde iremos? A estas perguntas quais fundamentos podemos buscar? Uma vez que a sabedoria nos impulsiona na busca da verdade.

E onde encontraríamos a verdade a não ser no conhecimento de Deus?  A Sagrada Escritura nos assegura categoricamente que: “Toda sabedoria vem de Deus”. “Se algum de vós tem falta de sabedoria, roga a Deus, que a todos concede liberalmente, com toda alegria” (Tiago 1,5s) Portando todos podemos ser filósofos quando conseguimos tirar a fenda dos olhos daqueles que não querem ver o óbvio, o real ou a verdadeira sabedoria.

Aristóteles grande filósofo conhecedor do mundo e da filosofia, vivia numa busca incansável de descobrir mais e mais, embora muitas vezes encontrando-se apenas como um desvelador, aquele que apenas tirava o véu que cobria todas as coisas. A sabedoria apresentada por Pitágoras era aquela que convinha apenas de Deus, desejava que ninguém o chamasse de sábio, mas tão somente amigo ou desejoso de sabedoria.

A sabedoria é soberana, o homem em si é um excelente sábio ao tentar desvendá-la que o fará estar mais perto de compreender a verdade e que esta verdade um dia de fato poderia libertá-lo. Nos diz Jesus em sua palavra: “Conhecerei a verdade e ela vos libertará” (João 8,32). Com certeza teremos mesmo que escolher! Santo Agostinho, grande teólogo e filósofo do cristianismo, defendeu vários pensamentos para conduta do ser humano e para igreja católica. Uma de suas belas frase: “O princípio da sabedoria é o reconhecimento da própria ignorância”. Devemos, pois, nos reconhecer pobres, ignorantes ao que nos eleva o ego, o autoritarismo, a prepotência, ao querer ser mais… Ao passo que conseguimos nos reconhecer ignorantes a determinados assuntos, e assumindo com humildade este reconhecimento, estaremos de fato sendo sábios.

 A verdadeira sabedoria nos faz:  fazer o outro crescer, viver, assumir seu próprio lugar no mundo. Quando eu possa ver no outro alguém que possa acrescentar estarei de fato agindo com sabedoria. Quando ela for capaz de nos fazer tirar as pedras do caminho do outro (estas que muitas vezes nós mesmos as colocamos) fará de mim uma criatura em evolução. Acredito naqueles que, deste mundo nada quiseram, tiveram ou se deixaram elevar pelo ter,  pois estes sim encontraram e viveram a verdadeira sabedoria.

Termino com uma frase belíssima de Santa Teresina, onde ela se reconhece um nada, diante de um Deus que é rico em sabedoria e graça e que nos convida a acreditar que nada somos sem o seu infinito amor. Que diz: “O que agrada a Deus em minha pequena alma é que ame minha pequenez e a minha pobreza” Ela acreditou que deveria oferecer tudo, suas pequenas coisas e pequenos gestos. Tudo ofereceu a Deus.  Assim a sabedoria nos indica que na terra nada seremos se Deus não permitir.  E que a nossa ignorância cega a vontade de Deus em nossa vida ao passo que, a sabedoria nos faz reconhecer o nada que somos.

Busquemos a Sabedoria! A ignorância cega em nós as virtudes do outro. Pense nisso!

Até Breve!

Joelma Martins.

| Joelma Martins é Licenciada em Letras Português (UNIT) e Bacharel em Biblioteconomia e Documentação (UFS). Pós-Graduada em Didática do Ensino Superior e Gestão Educacional. Escritora, Cordelista, Poetisa, Bibliotecária do Gabinete de Leitura de Maruim e imortal na Acadêmica Maruinense de Letras e Artes, ocupa a cadeira Nº 8, cujo a patrona é Josilda de Mello Dantas. | 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s