#Coluna: Sou leão ou ovelha? | Por Joelma Martins

Olá caros colegas! Cheguei! Saudades!

Nossa proposta de hoje é:  “Sou leão ou ovelha”?

28428378_1802557753133304_432359574410887168_n.jpg
Foto | Reprodução 

 

A escolha do tema muitas vezes retrata o interior do poeta, o escritor ou pensador. Estamos movidos por aquilo que nos afeta direto ou indiretamente. Quando perguntei certa feita as duas jovens garotas de 18 e 19 anos respectivamente, sobre quem elas queriam ser? Se leão ou ovelha? Uma delas respondeu-me em ímpeto: “Quero ser ovelha” a outra parou por um instante, como se refletindo um pouco e respondeu-me: “Ovelha também”. Comecei então a refletir…

Fomos criados para o amor, não existe outro propósito fora este, embora preferimos viver de acordo com as nossas vontades e convicções, atropelando a tudo e a todos que nos ofereça um certo desconforto ou intolerância e para estarmos bens precisamos descarta-las o mais rápido possível.  Jesus quebra todos esses paradigmas e nos conforta quando nos diz que seremos como ovelhas no meio dos lobos. (Mt. 10,16)

A ovelha por ser um animal frágil e obediente, estar sempre a mercê do perigo, não que eu queira dizer que é fraca e incapaz, pois ao passo que ela sobrevive entre os lobos ferozes, ela constrói em si uma força inimaginável semelhante a de um leão. Sendo ele o rei dentre o reino animal, sua força, agilidade e astúcia, são deixadas para trás pela sabedoria humana que Deus dotou o homem.

O que faz o leão ser o rei? Sua beleza, imponência, nobreza, bravura… Porém, uma coisa é certa em seu habitat, ele não é o mais veloz, o mais inteligente, nem tampouco o mais forte. Mas o que faz a sua força é a sua determinação e atitude. Algumas pessoas também são assim são fortes pelo o que fazem na sua simplicidade e no seu espírito de partilha, se utilizando do simples e do belo, para fazer o outro feliz. Estas pessoas com seus exemplos levam outras a fazerem também o mesmo e serem felizes. A liderança estar na atitude e dela podem-se calcular os ganhos e as perdas, porém o leão nunca experimenta o fracasso de não ter tentado.

O leão sabe da força e da coragem que tem, porém ao se deparar com um elefante imagina: -“ele vai me esmagar!” o elefante por sua vez imagina: – ele é o rei, se eu não fugir agora ele vai me matar, acabando por se perder da manada, tornar-se uma presa fácil para o astuto leão. O leão viu o perigo, pensou: -“Ele é o meu almoço,” usando seus instintos parte para conquista da presa. No reino animal é assim, estamos falando de uma cadeia alimentar. Mas voltando para ovelhas; indefesa, dócil, vivendo em bando para sua sobrevivência e comodidade. Por que será que o Senhor nos chamou de ovelhas? Somos seres frágeis e indefesos de fato? Acredito que existe um significado além destes. É justamente as nossas ações que irão dizer e demonstrar que possuímos uma força de leão dentro de nós do tamanho da nossa crença, resultado daquilo que você pensa ser.

O mundo é para ovelhas e leões, a diferença está na sua atitude! acredito na minha capacidade de mudar? De ser melhor? De fazer o outro melhor? De buscar na sociedade o meu espaço? sem contudo privar o outro de encontrar o seu também. O segredo da liderança estar na capacidade de inspirar confiança, na atitude de agir na hora certa buscando no outro, pontos positivos e investir fielmente neles até que gerem frutos bons e em abundância.  Do leão devemos imitar sua força e atitude procurando transpor os obstáculos com a confiança de que poderá sair ileso, se tivermos a perspicácia de agir com firmeza e sabedoria. Da ovelha podemos colher a docilidade em saber que sozinhos somos fracos, porém se unirmos nossas forças derrubaremos todas as muralhas. Quando o Senhor nos chamou de ovelhas, estava nos alertando de que Ele é o Pastor, e que sem Ele, poderemos nos perder no caminho. E as verdadeiras ovelhas conhecem a voz do seu pastor e para onde ele vai elas vão atrás.

Mesmo como ovelha, posso possuir a força de um leão, só depende da minha atitude.

Um abraço!

Joelma Martins 

joelma1-2-1.jpg
| Joelma Martins é Licenciada em Letras Português (UNIT) e Bacharel em Biblioteconomia e Documentação (UFS). Pós-Graduada em Didática do Ensino Superior e Gestão Educacional. Escritora, Cordelista, Poetisa, Bibliotecária do Gabinete de Leitura de Maruim e imortal na Acadêmica Maruinense de Letras e Artes, ocupa a cadeira Nº 8, cujo a patrona é Josilda de Mello Dantas. | 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s